Compartilhar  

Rádio da I.P.Fi.  

Hora Certa em Brasília  

Bíblia On-line  

Redes Sociais  

Álbum de fotos  

foto7
Image Detail Image Download

Notícias da I.P.B  

Perdoando as feridas feitas por uma amiga

Perdoando as feridas feitas por uma amiga

PDFImprimirE-mail

Resultado de imagem para perdão

Pensei que éramos amigas. O sofrimento por trás dessas palavras pode ofuscar anos de vida, amor e memórias. Todos os bons momentos desaparecem na escuridão quando uma amizade é traída. O investimento vai por água abaixo, a vulnerabilidade é restringida, a confiança é abalada e o amor é questionado.

Amigas ferem amigas. Isso é inevitável porque cada amiga é uma pecadora, e as pecadoras pecam umas contra as outras e se machucam — intencional ou involuntariamente. De qualquer forma, é sempre mais difícil se recuperar da dor infligida por uma amiga.

A dor da convicção que vem por meio da repreensão piedosa de uma amiga que fala a verdade em amor é uma dádiva genuína (Provérbios 27.6). Mas, e se alguém pecou contra você, e está ferida por causa de palavras, traição ou manipulação de uma pessoa que considera uma amiga? Como você trata disso com sua amiga e como você se move da dor em direção à reconciliação?

Ignore uma ofensa

Em meio à sua dor, confie que Deus está trabalhando em seu relacionamento para que você cresça tanto na graça quanto no conhecimento de Cristo: “Confiai nele, ó povo, em todo tempo” (Salmo 62.8).

É a glória (ou a beleza) de alguém ignorar uma ofensa (Provérbios 19.11). Isso requer prudência, paciência, maturidade e sabedoria. Ignorar uma ofensa adorna o evangelho e é uma resposta amorosa que demonstra que somos de fato discípulas de Cristo (João 13.35).

No filme da Disney “Frozen”, Elsa abandonou a cautela e a prudência, renunciando a sua característica de “boa menina” para desencadear a sua fúria congelante na cidade de Arendelle. Suas ações afetaram negativamente a todos e a tudo ao seu redor. Em nossa carne, somos tentadas a manifestar a nossa fúria reprimida e “fria” em nossa amiga ao invés de confiar em nosso Senhor. A sabedoria não deixa “let it go”(“livre estou”) como uma rainha do gelo. Em vez disso, morre para o eu, demonstrando constrangimento e levando a dor até Jesus, quem mais se identifica conosco em nosso sofrimento e quem nos assiste em nossos momentos de necessidade.

Uma advertência: ignorar uma ofensa não é uma licença para usar o silêncio como uma arma, ou para abrigar sentimentos maus que voltarão a atacar o relacionamento posteriormente. Antes, é ter uma consciência pura diante de Deus de que essa dor não está em um nível que precisa ser abordada (pelo menos não agora), mas uma resolução de “perdoar e esquecer”. É muito melhor ganhar a sua amiga do que ganhar um argumento.

Quando a ofensa não pode ser ignorada

Às vezes, você não pode simplesmente ignorar uma ofensa. Se o seu primeiro pensamento é “elas precisam ser faladas”, isso pode ser a sua justiça própria falando e não o Espírito. Nosso objetivo deve ser a reconciliação que nasce do amor.

Contudo, encontraremos ocasiões e momentos legítimos em que precisamos lidar com um ferimento. Podemos tentar corrigir o erro, mas lembre-se de que a vingança pertence ao Senhor e ele retribuirá (Romanos 12.19). Então, esse não é um chamado para atacar e para lutar em revide. Trata-se de um chamado amoroso à repreensão bíblica.

No ensino de Jesus sobre o pecado, ele diz aos discípulos:

Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe” (Lucas 17.3-4).

Repreender é argumentar de modo sincero com o seu próximo (Levítico 19.17), relatar-lhe a sua ofensa (Mateus 18.15) com um espírito de bondade (Gálatas 6.1) na esperança de que a sua amiga se arrependa.

Mas o ensino de Jesus vai muito além, dizendo que podemos ser feridas novamente e que devemos estar preparadas para perdoar sempre. O perdão pode parecer quase impossível se esquecermos de Cristo. Ele perdoou “todos os nossos delitos; tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós” (Colossenses 2.13-14). Quando estávamos em rebelião aberta contra Jesus, ele morreu por nós (Romanos 5.8). Mesmo agora, como aquelas cujos pecados foram encravados na cruz com Cristo e cujas vidas foram ressuscitadas com Ele, “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1.9).

Cinco maneiras de orar

Se você foi ferida por uma amiga, derrame o seu coração a ele em oração por sabedoria, por perdão e por reconciliação (Salmo 62.8). Aqui estão alguns motivos de oração que podem ajudá-la a lidar com o ferimento com sabedoria e graça:

  • Ore para que Deus sonde o seu coração ferido (Salmo 139.23). Você foi ferida porque o seu pecado foi exposto? Você foi excessivamente sensível a algo que foi dito? Você estava aborrecida? Você foi ferida por um comportamento padrão de sua amiga ou por uma ofensa que ocorreu pela primeira vez?

  • Ore pela graça de pensar sobre o que é verdadeiro, honesto, justo, puro, amável, de boa fama, excelente e digno de louvor em você mesma e em sua amiga (Filipenses 4.8).

  • Ore por discernimento: Deus quer que você ignore ou lide com a ofensa?

  • Se você precisar lidar com a ofensa, ore para que seja sincera e graciosa com a sua amiga sobre a forma como você foi ferida e ore para que a sua amiga responda com humildade.

  • Ore para que você ame a sua amiga em todos os momentos, mesmo nos difíceis, e para que vocês possam viver em harmonia uma com a outra (Romanos 12.16).

A graça de Deus brilha através de nós

Vale a pena ignorar uma ofensa se você puder — e confiar que Deus está trabalhando em você e no coração de sua amiga — orar por sabedoria, amor e reconciliação, repreender com bondade e estar pronta para perdoar. Cristo ensina que, “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos” (João 15.13). Em seguida, ele chama os seus discípulos de seus amigos (João 15.14-15), e um pouco depois, ele literalmente morreu por seus amigos.

 

Se Jesus realizou um sacrifício tão radical e amoroso por seus amigos — amigos que duvidariam dele e o negariam — certamente podemos nos esforçar para restaurar as nossas amizades rompidas. Amizades piedosas são um testemunho ao mundo. Nelas, manifestamos o nosso amor por Cristo e umas pelas outras.

Compartilhar

© 2017 - ALLROUNDER
   
| Sexta, 15. Dezembro 2017 || Designed by: LernVid.com |